O Atelier está de mudança e estamos desconstruindo para construir (literalmente).

Foto: Julia Pak
Foto: Julia Pak

O atelier sempre funcionou como um grande espelho pra mim. 

Ainda mais pra mim, que sempre tive dificuldade em encarar meu próprio reflexo (devaneei um pouco sobre isso aqui).

Essa dinâmica de criar uma empresa com seu próprio nome transforma todo esse desafio mais literal. Nunca, pelo menos de forma consciente, desejei por isso.

Inclusive, prometi pra mim mesma ainda na faculdade que:

1- Nunca seria estilista - acreditava que desenhar e criar simplesmente não era o meu forte.

Resultado: Hoje, ser estilista é meu maior propósito de vida.

2- Nunca abriria uma empresa com o meu nome - afinal, imagina se dá errado? 

Resultado: Abri o Julia Pak Atelier

3- Nunca teria uma empresa familiar - sempre trabalhei indiretamente com empresas familiares e entendi que, definitivamente, não era pra mim. 

Resultado: Hoje na empresa somos eu, minha mãe, meu pai e mais duas famílias trabalhando.

Foto: Julia Pak
Foto: Julia Pak

Era como se meu inconsciente já estivesse me preparando para os meus maiores desafios. Pelo menos no meu caso, a palavra "nunca" funcionou quase como um canal direto entre o meu insconsciente e o meu consciente.

Mas a boa notícia é que essas três promessas acabaram se transformando nas três maiores premissas da minha vida. 

E foi aí onde a desconstrução toda começou.


Foto: Julia Pak
Foto: Julia Pak

Desconstruir para construir acabou sendo a dinâmica que escolhi usar para resolver quase todos os meus desafios. Abrir a mente, pensar através do olhar do outro, praticar a real empatia com quem te cerca.

Foram três anos desde que abrimos o atelier e que vi todos ao meu redor se desconstruírem junto com ele. 

Tirando as minhas próprias desconstruções (como trabalhar com a minha mãe, por exemplo), vi quem disse que nunca mais iria trabalhar fixo em nenhum lugar se transformando em uma das profissionais mais antigas da empresa. Vi evangélico costurando para casal homoafetivo, vi quem não queria aprender a costurar se tornar uma costureira de mão cheia! 

Hoje, estamos literalmente desconstruindo um espaço para construir o novo atelier. 

E como é bom ver acontecer externamente e materialmente o que tem acontecido internamente desde o começo!

Que venham mais "eu nunca" e uma nova fase com ainda mais desconstruções! Estamos preparados :)

E você, já desconstruiu e construiu muito hoje?